Arte e cura: Público do FliSertão aprecia obras da exposição ‘Arte Terapia’

Há séculos a arte tem sido para a humanidade uma das formas mais genuínas de expressão, e também se torna, em muitas ocasiões, importante ferramenta que ajuda a proporcionar melhora significativa da saúde mental. Em Petrolina, uma das propostas do Festival Literário do Sertão do São Francisco (FliSertão) foi a exposição coletiva ‘Arte Terapia’, resultado de oficinas de arteterapia realizadas desde março deste ano.

Essas oficinas foram realizadas pela Prefeitura de Petrolina, por meio da Secretaria Executiva de Cultura em parceria com a Academia Sanfranciscana de Artes Visuais e o renomado arquiteto e artista plástico pernambucano, Alberto Simões. “Através da pintura e do desenho estamos motivando a autoestima das pessoas, melhorando os relacionamentos sociais e familiares, além de proporcionar importante interação entre os participantes, ajudando-as a superar as dificuldades psicológicas pós-pandemia.”, destacou o artista.

Resultado das aulas gratuitas ofertadas para a população na Biblioteca Municipal Cid Carvalho, a exposição coletiva ‘Arte Terapia’ traz uma assinatura de uma necessidade pós-pandêmica, já que a arte tem esse papel transformador para o ser humano. “No finalzinho da pandemia, onde os esquemas de segurança sanitária ainda estavam em vigor, tivemos alguns reclames da comunidade de que muitas pessoas estavam adoecidas mentalmente. Então, atentos a isso, recebemos a visita de um grande profissional, o artista plástico e arquiteto Alberto Simões, que já tinha uma proposta de usar a arte da pintura e do desenho como um processo de cura”, ressaltou o secretário executivo de Cultura, Cássio Lucena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar